Vi no blog da Olivia Maia e tenho que repetir aqui:

Os antigos escrevem — diz Colombo no Diálogo — que os amantes infelizes jogavam-se no mar do penhasco de Leucádia, e se conseguissem sobreviver, ficavam livres da paixão amorosa pela graça de Apolo. Pois então “cada navegação é quase um salto do penhasco Leucade”. Os navegadores estão sempre em perigo de morte, mas justamente por isso valorizam a vida mais que os outros. Distantes da terra, eles não têm maior desejo do que ver dela um “cantinho”. Disso fazem fé aqueles que participam da presente expedição: incertos da viagem, acordam e adormecem pensando na terra; “e se uma só vez nos será revelado de longe o cume de um monte ou de uma floresta, ou coisa parecida, nossa felicidade será imensa.”  – Piero Boitani, A sombra de Ulisses

Leia o post em que ela divaga lindamente sobre isso.