Page 3 of 16

Tenho limitações a partir de agora

O lado ruim de deixar a barba crescer é não poder mais usar uma máscara de Groucho Marx (óculos, nariz e bigode) com a mesma desenvoltura e efeito.

Sob a influência de August: Osage County

Quando, intimamente, começo a listar as merdas que ainda tenho na cabeça, fico pensando na quantidade de merdas que meus pais tiveram que fingir – e fingir bem – que não tinham para conseguir criar seus filhos.

Paradoxo da Definição

Quanto mais tenho dúvidas sobre como me definir (quem sou e o que faço) para os outros, mais perto estou de saber como me definir para mim, mas isto não cabe em definições.

Eu e minha bocagando

Meus aforismos são fracos perto dos meus bolaforismos.

Por que não

Não a quero nem como amiga. Porque você me lembra demais alguém que você mesma matou.

Dois pulos n’água

Lembrança de Araçatiba, Ilha Grande, no Rio de Janeiro. Fotos: Claudia Regina.

20140108_051

20140108_052

20140108_053

20140108_054

20140108_055

20140108_056

20140108_057

20140108_058

20140108_059

20140108_060

20140108_061

20140108_062

20140108_063

20140108_064

20140108_065

20140108_066

20140108_067

20140108_068

20140108_069

20140108_070

20140108_071

20140108_072

Uma sexta-feira qualquer (+18 – NSFW)

20140104_035

20140104_039

20140104_042

20140104_067

20140104_069

20140104_072

20140104_075

Sim, sou eu. Não é um dublê careca. Fotos de Claudia Regina.

Perfeccionismo

A busca estéril pela perfeição, na arte, é sempre maçante. Arte não é engenharia. Embora a qualidade técnica seja importante, um dos encantos das artes é a capacidade dos artistas em lidar com os erros e agregá-los a seus trabalhos.

Peneira

Separando o joio do joia.

Comércio eletrônico

Comprei algumas cuecas pela internet e elas não chegaram. Em vez de ficar com as cuecas na mão fiquei na mão com as cuecas.

Deformação de plateia

Tendência de interpretações do The Voice Brasil revela que público musical brasileiro está ficando surdo. “Os cantores precisam atingir 140 decibéis para serem ouvidos”, diz pesquisador.

Agora está explicado!

As letras das músicas do The Voice Brasil são todas escritas em CAIXA ALTA.

Exprica-me

Expressões a serem explicadas: “Redondamente enganado.” O que há de tão redondo nos enganos?

Conversão

Dois Testemunhas de Jeová educadamente me abordaram na rua. Além de não conseguirem falar muito tempo, ainda tiveram que assinar minha newsletter.

Acho que já escrevi isto aqui, mas tenho liberdade de expressão

A Liberdade de Expressão tem sido invocada em momentos em que o Direito de Ficar Calado seria mais útil.

Lulu

À menina que ficou comigo e me avaliou com #cheiramal no Lulu: é óbvio que você nunca ficou comigo! #LOL

Excessos de fim de ano

Não culpe o Natal e o Ano Novo pelos quilos a mais. Ninguém ganha QUILOS em apenas três ou quatro dias de excesso por ano. QUILOS se ganham através dos hábitos desenvolvidos durante os trezentos e tantos dias anteriores. Desencane dessa história e enfie o pé na jaca.

Do carilho

Este trocadilho infame é dedicado pra você que, quando tenta fazer uma acrobacia, quebra a bacia.

Tempo psicológico

Assisti a uma peça de sete horas de duração, mas era tão boa que pareceu ter apenas seis.

Escrevendo de cachecol

O verão começou ontem em Curitiba. Foi bom enquanto durou!

No ano novo

Fogos de artifício barulhentos são brega. Prefira os silenciosos.

Progressão

PRIMEIRA TATUAGEM: “Tem que ter um significado especial”. SEGUNDA TATUAGEM: “Quero algo bonito.”. TERCEIRA TATUAGEM: “Escolhi um artista bom, ele pode fazer o que quiser”. QUARTA TATUAGEM: “Um amigo está aprendendo e reservei um lugarzinho para ele treinar”. QUINTA TATUAGEM PARA FRENTE: “Ainda tem uns espaços em branco”.

Artistas convidados

A justiça esportiva pode garantir que times de segunda divisão façam participações especiais na primeira ano que vem.

Eria

Existe moda até no uso dos sufixos. O da vez é o ERIA. Pegue uma palavra estrangeira para um estabelecimento comercial banal e já existente como qualquer outro, acrescente o sufixo ERIA e cobre o dobro do preço, vendendo como um novo “conceito” singular e ímpar de algo absolutamente comum: paleteria, paneteria, cupcakeria, gelateria, etc. Aposto que teríamos disserterias, vendendo gelatina com iogurte, não fosse a semelhança com a palavra desinteria.

Torcidas organizadas

As torcidas organizadas tiveram chances mais do que suficientes para demonstrar que sabem conviver como humanos. Agora chega. São desnecessárias. Qualquer benefício (quais?) que possam trazer não compensam os malefícios potenciais de que são capazes. Se hoje uma torcida organizada está se comportando bem, nada impede de que no futuro seja protagonista de uma vergonha como a de ontem. Se elas são necessárias à existência dos clubes (são? duvido.) está na hora, entâo, de os clubes pensarem em outro modelo de negócio. Torcida é desorganizada. O resto é facção.

Ignorando o despertador

Hoje me aconteceu uma coisa inédita desde de 2008, último ano em que tive um emprego (mesmo naquela época não acontecia, mas ao menos havia a possibilidade): PERDI A HORA.

Drento

Quando até os imbecis começam a falar que é preciso pensar fora da caixa está na hora de começar a pensar dentro.

Ideia para tattoo humorística ou irônica

Um post-it em branco no dorso do antebraço, para anotar os recados.

Entendo muito disto

Leia a matéria inteira em Amor – O Fim

Mas por que sentir algo tão ruim por alguém que se amou? É que o ódio e o amor passam pelas mesmas partes do cérebro – a ínsula e o putâmen. “A diferença entre os dois é que, no ódio, existe mais capacidade de planejar as ações. No amor, o julgamento está prejudicado”, diz o neurologista Semir Zeki, da University College London. Então o ódio é mais racional que o amor? Não necessariamente. Mas ele tem sua função: é uma defesa do organismo para nos fazer seguir em frente. Em vez de ficarmos remoendo eternamente as dores, passamos a não querer mais ver a pessoa. “Assim como o cérebro associava coisas positivas a uma pessoa, ele pode passar a associar só sentimentos ruins, negativos”, diz Suzana Herculano-Houzel.

As 100 maiores invenções da história

Nenhuma lista de melhores invenções da História está completa sem o Moonwalk, de Michael Jackson.

A varinha mágica de seu carro! Confira!

CURIOSIDADE/LIFE-HACKING (impressione seus amigos fazendo esta revelação): do lado esquerdo da barra de direção de seu carro há uma haste. Se você empurrá-la para cima, ligará um dispositivo chamado pisca-alerta da direita. Para baixo, ligará o pisca-alerta da esquerda. Dizem que esse dispositivo (tanto traseiro como dianteiro) serve para alertar os transeuntes e os outros motoristas de sua intenção de fazer uma conversão aos respectivos lados. Uma outra possível função AINDA MAIS MISTERIOSA é avisar os outros motoristas de sua intenção de mudar de pista. Mas essa NINGUÉM, NINGUÉM MESMO conhece. Dizem que é uma lenda, mentira, teoria da conspiração do mesmo nível da bala mágica do Kennedy e da área 51. Vou testar hoje mesmo para ver se é verdade. Duvido. Nunca vi ninguém fazendo.

Aula de trânsito

Você, motorista, nunca dê pisca alerta para mudar de pista porque, se revelar suas intenções de fazê-lo, será obviamente impedido pelo motorista de trás que já está na pista correspondente. E, lembre-se, se vir algum motorista a sua frente dando pisca-alerta anunciando sua vontade de mudar de pista, impeça-o a todo custo, acelerando o seu carro o suficiente para emparelhar, mas nunca o bastante para ultrapassá-lo, tornando a operação completamente impossível ou ao menos arriscada para todos. Lembre-se: se você tornar essa operação mais fácil, será considerado inferior. É o equivalente civilizado ao gesto de, como se vê na natureza, permitir que um macho de sua espécie monte nas suas costas. Não permita. Obrigado por tornar o trânsito um ambiente um pouco mais hostil!

Maldições divinas

Adesivo que li em carro parado em fila dupla: “Que Deus lhe dê em dobro o que me desejar.” Em breve levarei duas multas por parar em fila dupla. Ou uma por parar em fila quádrupla. Sei lá.

5 coisas novas sobre mim

A pedido do amigo Luciano de Sampaio. Se você curtir, considere-se automaticamente convocada e convidada por mim, pessoalmente, a participar contando pelo menos cinco coisas novas sobre você. Algumas coisas abaixo listadas não são novas para alguns, mas para a maioria deve ser.

1. Aos 12 anos, trabalhei profissionalmente como palhaço. Por dois fins de semana. Isso ajudou a entender o que é exploração infantil.
2. Não só já tive cabelo como já tive cabelo bem comprido, na linha da cintura.
3. Aos 14 anos, fui professor de catequese.
4. Já marquei um encontro através do chat do UOL e “saí” com a pessoa na mesma noite. Ela ficou mais feliz que eu, mas foi uma experiência interessante.
5. Aos 2 anos, meu brinquedo favorito era passar limões de uma panela para a outra durante horas a ponto de eles ficarem lustrosos.
6. Aos 4 anos, ao perguntarem para mim quem era minha namorada eu respondia “a Coca Cola”.
7. Já tive experiências com profissionais do sexo, sendo que uma delas foi com uma menina transexual. Uma amiga foi testemunha e estava no quarto como “voyeur”.
8. Já fui convidado a ser um profissional do sexo. Não aceitei, porque sou totalmente amador.
9. Embora, não seja uma de minhas “fantasias sexuais” já fiz sexo com mais três pessoas, além de mim, simultaneamente. Algumas vezes.
10. Pretendo estar morando num container em alguns meses (se você me acompanha aqui, não chega a ser novidade).
11. Tenho nome composto: “Alessandro Marcelo”. Eu sei. Não combina.
12. Tenho um blog sobre livros, adoro livros, mas não devo “ter” mais que cinco livros.
13. Já mantive cinco relacionamentos simultâneos e levei às cinco garotas para ir a um evento. Todas sabiam de todas. Na ocasião, o relacionamento de uma delas estava junto. Tudo correu bem.
14. Nada disso me espanta, nada disso me é incomum. Só estou contando porque pra você, talvez seja novidade.

Se curtir, ou não, sinta-se convidada a participar contando coisas novas sobre você.

Tudo vai ser diferente

DICA PARA AS RESOLUÇÕES DE FIM DE ANO: engordar, perder dinheiro e piorar os relacionamentos. Considerando que as pessoas fazem tudo ao contrário, pode dar certo.

O ano novo tá aí, tá na hora

A resolução de fim de ano de hoje é a procrastinação do ano inteiro de amanhã.

Isto que me lembra um tempo em que fui mais feliz

Sem aceno, sem abraço

Procuro no dicionário uma palavra que descreva o sentimento de andar em certa calçada, sabendo que o aceno, lá de longe, seguido do abraço, no meio da quadra, não estarão lá. Procuro no dicionário uma palavra que descreva o ato de procurar a primeira, esperando que, se encontrada, ela possa exorcizar tal sentimento, pois o que é dito, acredita-se, é superado. Ando por essa calçada, mas não há aceno, não há abraço, há só meus passos, que ultrapassam o meio do caminho, pois não há o encontro do meio do caminho. Há só os passos que seguem para o além, em direção à Serra do Mar, cegos e surdos, insensíveis, como se eu não estivesse a desenhá-los, mas tão somente sendo levado, invisível como um fantasma, como se eu tivesse morrido quando ela sumiu de minha vida. Procuro no dicionário, mas sei que não vou encontrar. As palavras não falam a língua dos mortos.

Lamentando o que perdi

Por vezes, lamento tanto o que perdi que mal consigo aproveitar aquilo pelo que sou grato.

Discrição

Os que voam fazem certas coisas andando para que os que andam não lhes atirem pedras.

Los atrasados no vestibular

Ideia para flahsmob em vestibulares e Enens. Grupos que chegam de propósito junto com os atrasados do vestibular para confundir a imprensa e poupar os coitados do constrangimento de uma das matérias mais manjadas de todos os tempos nesse tipo de evento. Os meus coleguinhas jornalistas não vão saber quem entrevistar.

Morrer é um parto

Morrer é um parto. Tem quem parte de cócoras, tem quem parte na água, tem quem parte sem dor, os que vão naturalmente e os que vão a forceps, quem tem trabalho pra partir e quem parte de cesariana no rompimento sanguíneo das vísceras e há até quem parte com hora marcada. Somos os embriões curiosos na constante pergunta de se, afinal, há vida após o nascimento. Morrer é um parto.

Cara de

Ainda bem que bundas não têm mamilos. Ou nem elas poderiam aparecer no Facebook. Aliás, ia ter gente que não ia poder nem mostrar a cara.

Um amor indecifrável

IDEIA DE ROTEIRO: a história de um farmacêutico que recebia mensagens de amor de um médico nas receitas que este passava a seus pacientes. Ninguém notava, só o farmacêutico. Tem que ser filme de época, quando ainda não se usava impressoras.

Jionwaini

Um fotógrafo amigo meu chama-se Giovani por causa do John Wayne. Faça as contas: foi graças a um tabelião piedoso se fazendo de surdo.

Danem-se as boas lembranças

Quando um relacionamento termina, costuma-se dizer: mas ficam as boas lembranças. Ora, são justamente elas, as boas lembranças, que mais fazem doer o fim. Vivam as más lembranças, que ao menos o justificam.

Vitória! Vitória!

Se o seu desodorante venceu, fique feliz! É sempre bom ter pelo menos um aspecto vitorioso em sua vida.

Prefiro dormir

Quanto mais você descobre o valor de seu tempo, quanto mais se torna independente financeiramente, mais caro fica pra alguém colocar você para trabalhar para si. Eu prefiro cochilar duas horas no meio da tarde, sem ganhar nada, a trabalhar dez minutos para um terceiro ganhando menos do que é o justo. Isso acontece quando você se torna bom em algo, quando você descobre do quão pouco precisa para poder viver bem e quando não tem dívidas – e sim reservas.

Pêssegos

A meninada saindo do colégio, sorrateiramente surrupiando os pêssegos da minha mãe. Saí na janela e disse que podiam pegar, mas eles estavam verdes ainda e que seria melhor esperar alguns dias. Na certa esperavam uma bronca. Ficaram super sem jeito e, na certa, felizes por poderem continuar a pegar os pêssegos, ainda que verdes. Roubar frutas verdes da vizinhança… quem nunca? E quem sou eu pra roubar essa experiência deles, talvez algo tão raro hoje em dia…

Não funcionam mais

As patas de trás de meu coração não funcionam mais.

© 2017 Alessandro Martins

Theme by Anders NorenUp ↑